Se está ruim para você pagar as contas de fim de mês, imagina para quem terá que desembolsar uma bolada de R$ 340 mil para os cofres públicos. Essa é a realidade de um dos contratados do SBT no momento. Atuando na atração “A Praça é Nossa“, o artista foi condenado essa semana pelo Tribunal de Contas do Estado de Minas Gerais a devolver a quantia captada para um programa. Nas telinhas interpretando o deputado corrupto João Plenário,  o veterano Saulo Laranjeira ficou surpreso com a decisão da justiça.

Ele concedeu uma entrevista para o site UOL, e falou a respeito do caso: “É uma tempestade em copo d’água, uma coisa absurda, uma coisa que não tem lógica com a história que tenho, principalmente aqui em Minas, com o meu trabalho, a lisura que tenho e a pessoa séria que sou com toda a divulgação da cultura brasileira. Estou pasmado com isso, sem dúvida alguma“.

Na última terça-feira, o TCE condenou o artista a devolver tal quantia, no entanto, Saulo Laranjeira ainda pode recorrer da decisão e ele fará isso. Segundo informações, ele está preparando sua defesa e deve se manifestar por meio de suas redes oficialmente, assim que a defesa for montada.

Na última terça-feira, o TCE condenou o artista a devolver tal quantia, no entanto, Saulo Laranjeira ainda pode recorrer da decisão e ele fará isso. Segundo informações, ele está preparando sua defesa e deve se manifestar por meio de suas redes oficialmente, assim que a defesa for montada.

SBT TAMBÉM DEVERÁ PAGAR DÍVIDA 

SBT, emissora do Silvio Santos foi condenado por exibir cenas de um cachorro da raça Pit Bul puxando um carro, ao vivo no programa Domingo Legal em 2006. A Promotoria de Justiça do Meio Ambiente ajuizou a ação que inclusive não cabe mais recurso. A notícia vem do portal UOL.

De acordo com Ministério Público de São Paulo (MPSP), que propôs a ação, o cachorro chegou a salivar devido a força excessiva que teve que fazer para puxar um carro que pesa mais de uma tonelada.

“O animal foi atrelado ao veículo por cordas e, atiçado pelo próprio dono, fez diversas tentativas inicialmente inúteis de mover o automóvel, que pesava cerca de 1,2 tonelada e era de propriedade do SBT”, informou.

“Alegou ainda que a Lei Federal nº 9.605/1998 estabelece como crime praticar abusos, maus-tratos, ferir ou mutilar animais silvestres, domésticos ou domesticados, sejam eles nativos ou exóticos”, diz em nota o Ministério Publico.

“A legislação permite apenas a tração animal de veículo ou instrumento agrícola e industrial, por animais de espécie equina, bovina, muar e asinina.”

UOL

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here