João Aranha, personagem de Caco Ciocler em “Éramos seis”, chegou à trama abalando a relação de Shirley (Barbara Reis) e Afonso (Cássio Gabus Mendes). No capítulo desta terça-feira, 22, a moça não resistiu e acabou transando com o ex. O ator considera que a disputa com o colega pela preferência do público não será fácil.

– É uma encrenca, porque o Cássio é um amor. Quando fiz minha primeira cena de enfrentamento com ele, senti dificuldade de rivalizar porque pensei: ‘Que cara fofo’. Mas vou ter que dar meu jeito, né? – brinca ele. – Uma coisa que pode pesar para o lado do João é que ele e a Shirley têm uma relação mais intensa no sentido homem e mulher. Quando ela está com o Afonso, passa uma sensação de amizade e respeito.

Segundo Caco, João terá dificuldades para conviver com Shirley e com Inês (Gabriella Saraivah), que em breve descobrirá que é filha dele:

– O João vai tentar se aproximar, mas a Inês acaba não dando espaço. Ele, inábil, não sabe como tratar a questão e não consegue lidar com a rejeição. Depois da passagem de tempo, a relação deles ficará ainda pior.

“Éramos seis” é a volta de Caco às novelas um ano depois de causar alvoroço nas redes sociais ao surgir bem mais magro para o papel de Edgar em “Segundo Sol”. O ator, que fez questão de acompanhar a repercussão na internet na época, hoje vem se afastando do ambiente virtual:

– As redes sociais mudaram, perderam a função original. Hoje, você tem que pensar no que postar porque o perfil virou uma plataforma individual de propaganda. E tudo bem quem faz isso. Mas eu sinto que as pessoas estão mais tristes, dependentes e solitárias. Além disso, é um ambiente com muita agressividade. Não acontece diálogo. Poucos são os que de fato se transformam ao ouvirem o outro. A gente acaba falando sempre para a mesma bolha. Não vejo por que continuar com isso, e nem tenho tempo. Então, uso mais para falar do meu trabalho. Mas não estou tranquilo com essa decisão, porque sei que a internet é um espaço interessante e tem gente que consegue utilizar brilhantemente.

Com quase 25 anos de carreira, ele acredita que as redes sociais transformaram a relação dos artistas com a mídia:

– Antigamente a nossa intimidade era flagrada por terceiros. Com as redes, assumimos o papel de divulgadores da nossa própria vida. Escolhemos o que queremos que todos saibam. É como se fôssemos os nossos próprios paparazzi.

Apesar dessas mudanças, um momento de intimidade do ator acabou flagrado justamente por um paparazzo. Em julho, ele foi fotografado saindo de um jantar com a nova namorada, a psicóloga Paula Cesari.

– Ela se incomodou. Somos discretos e ela não trabalha com isso. Além da foto, publicaram um ficha completa, com nome, profissão etc. É a parte chata, mas, passada a curiosidade inicial, ficou tudo bem. Não sofro tanto com esse assédio como outras pessoas. Tem gente que não consegue fazer nada em escala mundial. Deve ser um inferno.

Caco, de 47 anos, também se preocupa com a criação da neta, Elis, de 1, numa época em que muitas pessoas mantém uma relação tóxica com a internet. A menina é filha de Bruno, de 22 anos:

– Meu filho foi para um lado superbonito. Voltou-se para a agricultura orgânica e não gosta dos grandes centros. Só criou rede social agora, para vender o café dele. Nunca curtiu videogame nem televisão. Isso tudo fará diferença na educação da minha neta. Mas é claro que me preocupo com o futuro diante das previsões catastróficas. Por outro lado, vejo uma nova geração com uma lógica de existência muito interessante: se ajuda muito e está pouco interessada em dinheiro, no sentido de fazer fortuna. O que vejo dentro de casa me faz ter esperança.

Gravando a novela no Rio, Caco acaba tendo pouco contato com Elis, que mora no interior:

– Sinto muitas saudades e fico triste porque vou perder umas fases que não voltam mais. Cada vez que ela vem está diferente e nossa conexão é outra. Mas fico feliz que eles tenham ido atrás de uma qualidade de vida melhor.

GLOBO.COM

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here