O CRB escreveu uma página marcante em sua gigante história nesta quarta (9). Com muita garra e superação, o Galo devolveu a derrota em casa para o Palmeiras por 1 a 0, e levou a decisão da vaga nas oitavas de final da Copa de Brasil para os pênaltis. Na disputa, o goleiro Diogo Silva brilhou, assim como em toda a partida, garantiu a vitória por 4 a 3.

Com este resultado, o Regatas faturou o montante de R$ 2,7 milhões. Assim, o time alvirrubro espera o seu próximo adversário no torneio, que será definido em sorteio. Diferentemente da primeira fase, onde as equipes foram divididas em dois potes, as oitavas de final não terão potes definidos. Portanto, o Galo pode enfrentar qualquer time que avançou nesta fase.

Esta foi a segunda vitória de Alagoas sobre os paulistas neste século na Copa do Brasil. Em 2002, o ASA eliminou os alviverdes na primeira fase da competição contando com o gol qualificado após vencer por 1 a 0 em Arapiraca e ser derrotado por 2 a 1 em São Paulo.

Agora, o Galo se prepara para encarar mais um desafio pela Série B. Neste sábado (12), os regatianos irão receber o Confiança no Rei Pelé. A partida será válida pela segunda rodada da competição e está programada para iniciar às 16h30.

No mesmo dia, mas às 19h, o Verdão terá uma parada duríssima pela Série A. Os alviverdes irão duelar o clássico com o Corinthians, válido pela terceira rodada. A peleja também será jogada no Allianz Parque.

Primeiro tempo

Mesmo com a desvantagem do jogo da volta, o Galo iniciou a partida recuado e viu os donos da casa avançarem a marcação quando estavam sem a bola e ocupar o seu campo, quando com a posse. Porém, os regatianos foram oportunistas e aproveitou o erro da defesa para igualar a disputa. Diego Torres roubou a redonda na intermediária, avançou e enfiou uma boa bola para Ewandro. Na cara de Weverton, goleiro da Seleção Brasileira, o camisa 7 teve frieza para abrir o placar no Allianz Parque.

Com isso, os paulistas se lançaram de vez ao ataque e produziram muitas chances boas de gol. A zaga regatiana se fechou toda e, dali, determinou como seu objetivo principal a proteção da área. Contudo, os alvirrubros conseguiram se aproximar da meta alviverde em jogadas de velocidade, lideradas por Diego Torres e buscando o Hyuri em parte considerável das vezes.

O Palmeiras teve a sua situação mais real de empate com Rony, aos 23 minutos. O camisa 7 do time paulista recebeu de Mayke dentro da área, dominou no peito e tirou de Diogo Silva. A bola foi mansamente em direção da meta, porém, Gum apareceu e salvou o Galo em cima da linha.

O panorama da partida seguiu até o final da etapa inicial. O time da casa seguiu em cima e a defesa regatiana permaneceu fechadinha. Assim como na grande vitória sobre o Cruzeiro, o goleiro Diogo Silva apareceu e interveio em lances cruciais, realizando duas defesas importantes. O árbitro piauiense aplicou mais três minutos de acréscimo e o primeiro tempo chegou ao fim com a vitória parcial regatiana.

Segundo tempo

O Galo iniciou a etapa complementar do mesmo jeito que finalizou a primeira. A equipe regatiana compactou mais ainda suas linhas, chegou a ocupar o campo ofensivo por um momento, mas continuou sendo pressionado. Logo no minuto um, Diogo Silva operou um milagre ao defender um chute na pequena área de Luiz Adriano, à queima roupa.

Apos 15 minutos sob bombardeio intenso, o Regatas quase conseguiu ampliar no contra ataque. Diego Torres foi lançado em velocidade, ganhou de Felipe Melo e saiu cara a cara com Weverton. O goleiro da Seleção Brasileira fechou bem o ângulo e fez uma importante defesa no chute do argentino.

Perto da faixa dos 30, Allan Aal fechou mais ainda a casinha. O técnico regatiano tirou o atacante Erik para colocar o meia Dudu, que se juntou à dupla de volantes Claudinei e Jatobá. Depois disso, os alvirrubros passaram a sentir mais sufoco e praticamente não ficaram com a bola. Quando com a posse, não conseguiam conectar passes sucessivos e logo cediam a redonda para o time paulista.

A reta final foi marcada com um desespero palmeirense. Naquela altura, a equipe mandante, que já não tinha volantes em campo, tomou conta da intermediária e das zonas periféricas do ataque. O árbitro esticou a disputa até os 51′, mas o Galo conseguiu se segurar e levou a decisão para os pênaltis.

Pênaltis

Diego Torres abriu a primeira rodada e converteu para o Galo. Na sequência, Willian também marcou para o Palmeiras. Na segunda cobrança, Guilherme Romão chutou no travessão e Gustavo Scarpa colocou o time paulista na frente. Hyuri foi para a terceira rodada e guardou. Na sequência, Diogo Silva pegou a cobrança de Lucas Lima. Na quarta, Reginaldo e Breno Lopes desperdiçaram. Dudu e Luiz Adriano perderam na quinta.

Nas cobranças alternadas, Jatobá e Victor Luis também marcaram. Posteriormente, brilhou mais ainda a estrela de Diogo Silva. O goleiro foi para a cobrança, converteu para o Regatas e pegou a cobrança de Marcos Rocha. Fim de papo: Galo classificado.

Ficha técnica

Palmeiras – Weverton; Mayke (Marcos Rocha), Luan, Renan e Victor Luis; Felipe Melo (Zé Rafael), Raphael Veiga (Lucas Lima) e Gustavo Scarpa; Rony (Breno Lopes), Wesley (Willian) e Luiz Adriano. Técnico: Abel Ferreira.

CRB – Diogo Silva; Reginaldo Lopes, Gum, Frazan e Guilherme Romão; Marthã (Claudinei), Jean Patrick (Carlos Jatobá) e Diego Torres; Ewandro (Dudu), Erik (Calyson) e Hyuri. Técnico: Allan Aal.

Árbitro – Antônio Dib Moraes de Sousa (CBF-PI).

Assistentes – Rogério de Oliveira Braga (CBF-PI) e Márcio Iglésias Araújo Silva (CBF-PI).

Quarto árbitro – Roberto Mineiro Ribeiro (CBF-PI).

Daniel de Oliveira / GAZETAWEB
POR: Alex Silva/Estadão

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here