As chances de ver dois alagoanos comandando o Congresso Nacional ao mesmo tempo – na presidência da Câmara dos Deputados e do Senado Federal – diminuíram radicalmente.

O deputado Arthur Lira (PP-AL) confirmou à Coluna Painel, da Folha de São Paulo, na noite desta segunda-feira, 28, que está fora da disputa pela presidência.

“Eu não consegui viabilizar um bloco de centro-esquerda. Por isso, não sou mais candidato.”, disse Lira à Folha.

Ele segue costurando agora um acordo que deve garantir a reeleição do atual presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ).

O deputado federal João Henrique Caldas (PSB-AL) segue em campanha, embora não tenha segundo a maioria dos analistas, chances de figurar entre os mais votados.

JHC usa as redes sociais para fazer campanha. Com o mote “Menos presidência, mais Câmara”, ele tenta conquistar os votos dos novos deputados, especialmente os “independentes”.

No Senado, Renan Calheiros (MDB-AL) é apontado como um dos mais fortes candidatos à presidência da Casa, embora ele só tome a decisão de disputar ou não o pleito depois da reunião da bancada do seu partido, que será realizada no próximo dia 31.

A senadora Simone Tebet (MDB-MS) já se lançou candidata à presidência e vai disputar na bancada a indicação com Renan Calheiros ou outro senador.

Versão da Folha

Veja o texto da Coluna Painel, da Folha:

Maia fecha acordo com PP, MDB e PTB e praticamente garante reeleição na Câmara

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), conseguiu desfazer o único bloco que ameaçava sua reeleição no comando da Casa. Ele fechou, nesta segunda (28), um acordo com dirigentes do PP e do MDB, informam Daniela Lima e Thais Arbex. O PTB também vai se somar à articulação.

Com isso, o democrata liquida as chances de essas três siglas fecharem uma aliança com a esquerda na tentativa de, ao menos, jogar a disputa para o segundo turno.

Após a publicação do acordo pelo Painel, o líder do PP, Arthur Lira (PP-AL), negou que as negociações tenham sido concluídas.

Ideólogo do bloco de centro-esquerda, ele confirmou, porém, que retirou seu nome da disputa pela presidência da Câmara.

“Eu não consegui viabilizar um bloco de centro-esquerda. Por isso, não sou mais candidato.”

Integrantes do PTB e do MDB confirmam o acerto em torno de Maia. Pelo que o Painel apurou, nenhum nome que tenha se lançado candidato por esses partidos será obrigado a deixar a disputa.

Leia na íntegra: Maia fecha acordo com PP, MDB e PTB e praticamente garante reeleição na Câmara

https://painel.blogfolha.uol.com.br/2019/01/28/maia-fecha-acordo-com-pp-mdb-e-ptb-praticamente-garante-reeleicao-na-camara/

 

BLOG DO EDIVALDO JUNIOR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here