Fechar a casinha para sair na boa”. A frase dita por vários treinadores no futebol parece definir bem a estratégia do CSA neste início da Série A do Campeonato Brasileiro. Desde o jogo contra o Palmeiras, o time comandado por Marcelo Cabo optou por jogar somente com um atacante de ofício e a marcação se tornou o ponto forte do Azulão que sofreu apenas um gol nos últimos três jogos, mas, em contrapartida, só balançou as redes uma única vez no mesmo período.

Apesar de o padrão adotado por Cabo ser eficiente na defesa, o fato de o CSA não propor o jogo tem incomodado boa parte da torcida, que cobra por mais criatividade no setor de meio-campo marujo. Durante as duas últimas temporadas, coube ao meia Daniel Costa – atualmente no Criciúma – ser o armador azulino, encerrando sua segunda passagem pelo clube com 89 partidas disputadas, após não renovar no fim de 2018.

Nesta temporada, a aposta do CSA para a função de “maestro” foi no jovem Matheus Sávio, cria do Flamengo. No entanto, com a camisa 10 do Azulão, o meia de 22 anos tem oscilado ao longo de 2019, e depois da goleada de 4×0 sofrida na estreia do Brasileirão para o Ceará, fora de casa, saiu do time para dar lugar ao argentino Cristian Maidana, contra o Palmeiras, outro reforço do Azulão para a função no ano.

Porém, com a lesão do argentino no início do confronto com o Verdão, Sávio retornou ao time e foi o autor do gol que garantiu o empate com o time de Parque Antártica, e também a única vez que o CSA conseguiu vencer a defesa dos adversários até aqui na Série A. Além de Sávio e Maidana, o experiente Madson, de 32 anos, também divide a responsabilidade de armar os marujos dentro de campo e vem ganhando destaque nas últimas partidas.

No empate sem gols com o Avaí, nesse domingo (12), em Florianópolis-SC, o baixinho azulino teve a chance de colocar o CSA a frente do placar, aos 16 minutos, quando recebeu um passe de Matheus Sávio, mas chutou por cima do gol. Já aos 8 da etapa final, foi o ex-flamenguista que desperdiçou outra, das poucas oportunidades que o Azulão teve na partida, quando recebeu dentro da área, mas finalizou em cima de Vladimir.

Já no setor defensivo, o Azulão não teve grandes problemas – apesar da forte pressão avaiana na partida. Na única chance clara de gol do Leão, brilhou a estrela do goleiro Jordi que, defendeu um chute à queima roupa de Lourenço, aos 47 minutos do 2º tempo.

Depois do empate na Ressacada, a delegação azulina desembarcou em Maceió no final da tarde dessa segunda-feira (13) e ganhou folga geral. A reapresentação dos jogadores está marcada para esta terça-feira (14), no CT Gustavo Paiva, no Mutange.

Com três pontos, O CSA abre a zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro e terá uma pedreira pela frente na próxima rodada, encarando o Internacional, no Beira Rio, em Porto Alegre, domingo (21), às 16h.

GAZETAWEB.COM

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here