As duas crianças vítimas do suposto atentado a tiros no município de Senador Rui Palmeira, no interior alagoano, prestaram depoimento à polícia nessa segunda-feira, 14, e confirmaram que o policial militar da reserva, Jorge Vieira Ramos, de 55 anos, atirou várias vezes contra elas. Um adolescente, também ferido no ataque, segue internado no hospital.

O sargento Ramos, como é conhecido, é o principal suspeito dos tiros que deixaram duas crianças, de 10 e 11 anos, feridas nas pernas, e o adolescente de 14 anos, no tórax, tendo que ser submetido à cirurgia. Este último ainda se encontra na UTI do Hospital Regional de Santana do Ipanema.

De acordo com o delegado Emanuel Davi, responsável pelo inquérito que investiga o crime, o militar havia informado que se apresentaria à delegacia ontem e passaria pelo interrogatório, porém não esteve na unidade policial. O sargento Ramos também havia dito que perseguia um homem que teria atacado ele no dia anterior e atirou a esmo, tendo atingido as vítimas sem intenção.

“O motivo só o próprio atirador pode dizer. Até o momento, não há registro de nenhum problema deles com os garotos. Elas disseram foram surpreendidas por ele, que não disse nada, apenas fez vários disparos contra elas”, relatou.

Emanuel Davi destacou também que os meninos reconheceram o atirador pois ele trabalhou por muito tempo no município e é conhecido pela população. Além disso, o delegado desmentiu o boato de que as crianças “roubavam” a rede de internet da casa do suspeito.

“Os menores reconheceram o atirador porque, segundo eles, ele trabalhou por muito tempo na cidade e era bem conhecido. Em relação ao boato que surgiu sobre a utilização dos menores da rede de internet Wi-Fi, não foi confirmado. Até porque a residência do sargento fica distante da residência das vítimas e as mesmas utilizavam sim uma rede Wi-Fi de uma vizinha, mas com o consentimento dela”, afirmou.

Além das crianças, a mãe delas, que também é irmã do adolescente ferido, foi ouvida pela polícia. “Não posso adiantar muito, mas provavelmente teremos mais testemunhas, A investigação vai sendo feita por etapas, e esperamos ouvir o suspeito em breve”, finalizou Emanuel Davi.

MPE acompanha o caso

O Ministério Público do Estado de Alagoas (MPE-AL) está acompanhando o caso do atentado por arma de fogo que deixou três menores de idade feridos. O caso aconteceu na última quinta-feira (10) e o MPE se manifestou no último sábado (12).

À imprensa, o promotor de Justiça Fábio Bastos explicou que não pode repassar detalhes e nem citar nomes porque a investigação envolve três menores de idade, mas afirmou que o Ministério Público vai atuar com firmeza no caso.

“O Ministério Público está acompanhando de perto esse crime bárbaro que aconteceu em Senador Rui Palmeira. Nós iremos atuar com a firmeza de sempre. Aqueles que cometeram, se for mais de um autor, serão punidos na forma da lei. Ocorre que neste caso, dentre as vítimas, tem umas crianças menores de idade, e a lei prevê o sigilo no processo quando há criança envolvida. Também ainda há uma investigação iniciando em curso e não podemos divulgar os nomes dos investigados para não atrapalhar as investigações, até mesmo porque a Lei de Abuso de Autoridade não permite que neste momento nem promotor e nem juiz emita o nome de ninguém para que não possamos incorrer neste crime”.

TNH1.COM

FOTO: Divulgação/Correio Notícia

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here