Vai ficar para o próximo ano a discussão sobre o pedido de reajuste da passagem de ônibus da capital, protocolado na semana passada pelo Sindicato das Empresas de Transporte Urbano de Passageiros (Sinturb). Isso porque a reunião com o Conselho Municipal de Transportes Coletivos para apresentar uma contraproposta ainda não tem data para acontecer.

O encontro deve ter ainda a participação da Agência Municipal de Regulação de Serviços Delegados (Arser), interventora do Contrato de Concessão do Transporte Público de Maceió. O valor deve ser baseado num estudo realizado por meio da fórmula estabelecida no edital de licitação. No pedido enviado à SMTT, a categoria solicita um aumento de 13,7% em cima da atual tarifa que é de R$ 3,65 (três reais e sessenta e cinco centavos), passando a ser R$ 4,15 (quatro reais e quinze centavos).

A Câmara de Vereadores de Maceió deverá entrar na discussão no que diz respeito ao aumento da tarifa 2019, já que a alteração da Lei Orgânica Orgânica do Município define que a fixação e a revisão das tarifas dos ônibus municipais ficará condicionada à apreciação e aprovação dos 21 vereadores da casa legislativa.

Entretanto, a Câmara ainda não foi notificada oficialmente pela Justiça sobre o pedido do sindicato.

” A Câmara está aguardando ser notificada para poder receber em que base foram feitas a argumentação do sindicato para poder ver que medida poder ser tomada, mas, por enquanto, ainda não foi notificada”, informou Marcos Aurélio, diretor de comunicação da Câmara.

Atualmente, a Câmara têm apenas um representante no Conselho Municipal de Transportes Coletivos. A partir da alteração, o Conselho ficará limitado à emissão de parecer prévio sobre a qualidade do serviço oferecido e o poder aquisitivo da população.

 

Por Tatianne Brandão | Portal Gazetaweb.com

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here