Presidential candidate Jair Bolsonaro speaks with journalists at the National Congress in Brasilia, Brazil September 4, 2018. REUTERS/Adriano Machado - RC1D6A766B40

A funcionária da agência de comunicação que contratou disparos de mensagens de WhatApp para a campanha de Jair Bolsonaro (PSL) à Presidência, Taíse de Almeida Feijó, foi nomeada para cargo comissionado na Secretaria-Geral da Presidência. A nomeação foi feita no Diário Oficial da União (DOU) na segunda-feira (14).

Como apurado pela ‘Folha de S. Paulo’, Taíse integrará o gabinete do secretário-geral da Presidência, Gustavo Bebianno, e receberá um salário de cerca de R$ 10,3 mil.

Taíse era funcionária da agência de comunicação AM4 Inteligência Digital, que foi contratada pelo PSL para a campanha eleitoral de Jair Bolsonaro.

Empresas de comunicação compraram disparos de mensagens em massa contra o PT no WhatsApp. A prática é considerada ilegal e está sendo investigada pela Polícia Federal (PF). Segundo o ‘UOL’ revelou à época, tanto a campanha do PT quanto a de Bolsonaro usou este tipo de serviço.

Além de Taíse, um dos sócios da empresa AM4, Marcos Aurélio Carvalho, foi nomeado em novembro do ano passado para a equipe de transição. Ele foi considerado o “marqueteiro” da campanha do militar.

NOTÍCIAS AO MINUTO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here