Você já deve ter ouvido falar de botulismo. Mas sabe do que se trata? Como prevenir e, se necessário, tratar os sintomas? Vamos ajudar a entender esse perigo existente na alimentação.

O botulismo é uma intoxicação alimentar muito grave, provocada pelas neurotoxinas produzidas pela bactéria Clostridium botulinum. Entre os sintomas está a paralisia da musculatura respiratória, levando o paciente à morte.

Nos últimos anos, por exemplo, existem relatos de casos de botulismo provocados por diversos alimentos, como mortadela, produtos suínos, azeitonas e palmito em conserva, sardinha enlatada, pimenta e queijo.

É uma doença que oferece imunidade. Uma mesma pessoa pode ter botulismo várias vezes na vida. Deve ser considerada emergência médica e um problema de saúde pública. Existem três tipos conhecidos de botulismo: alimentar, por feridas e infantil.

Transmissão

O botulismo alimentar ocorre por contaminação do alimento (embutidos e conservas caseiras) por esporos da bactéria, que germinam produzindo a toxina. A transmissão pode ocorrer também pelo não aquecimento adequando dos alimentos.

Já o botulismo por feridas acontece pela contaminação de feridas (normalmente lesões traumáticas em solos contaminados) com esporos da bactéria.

Por fim, o botulismo infantil é constatado, normalmente, em crianças menores de dois anos. A proteção dos intestinos dos recém-nascidos ainda não está presente. Com isso, os esporos germinam e produzem a toxina na luz intestinal do recém-nascido.

Tratamento

De um modo geral, os pacientes suspeitos devem ser internados para acompanhamento da função respiratória. Pode ser ministrado o soro antibotulínico para combater as toxinas que estão circulando no sangue.

A penicilina é a droga de escolha. Em pacientes alérgicos, a opção é o Metronidazol. Pessoas atendidas rapidamente permanecerão com pouca ou nenhuma sequela. Entretanto, casos graves ou com demora no tratamento podem causas complicações.

Estadão
FOTO GOOGLE

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here