Apesar de todo o esforço do município em conscientizar a população e combater o mosquito Aedes Aegypti, a cidade de Arapiraca permanece em situação de epidemia de dengue. Nos primeiros cinco meses de 2019, o número de casos da doença já se aproxima do dobro de todos os registros de todo o ano de 2018. Enquanto no ano passado foram 1.437 casos notificados, a Secretaria de Saúde do município já contabilizou 2.126 pessoas infectadas até o último dia 25 de maio.

Os dados foram repassados à Gazetaweb nesta terça-feira (4) e revelam uma triste constatação, que traz à raiz do problema a falta de atuação dos moradores: 80% dos focos foram encontrados em reservatórios de água dentro das residências. Além do grande quantidade de casos de dengue no município, a secretaria também tem registrado casos de zika e chikugunya, doenças igualmente transmitidas pela picada do mosquito. Enquanto que o índice de infestação predial em 2018 foi de 5,4%, este ano o patamar já alcançou os 8%.

O tempo quente e com pouca chuva tem facilitado a proliferação do vetor transmissor das doenças, segundo técnicos da pasta da saúde. Para tentar conter a situação de epidemia, a prefeitura do município promoveu capacitação de agentes, realizou 45 mutirões de orientação e limpeza, palestras nas escolas e em empresas, visitas em 100% dos imóveis pelos agentes de endemias e até mesmo a ampliação de atendimento para até as 22h no 5º Centro de Saúde, o maior da cidade, além de abrir todos as unidades de saúde aos sábados.

Mesmo assim, os casos não param de acontecer. “É preciso que a população se conscientize de que é a principal responsável pelo combate ao mosquito dentro de suas casas. Todos sabem o que é preciso ser feito a partir das campanhas realizadas. O cidadão cobra ação da prefeitura, mas é preciso que cada um faça a sua parte. Este problema é de todos nós”, avalia Luciana Amorim Dias Lima, gerente da Unidade de Saúde Dr. Judá Fernandes, no bairro Cacimbas.

De acordo com ela, em um dos bairros assistidos na unidade, o Olho D´Água dos Cazuzinhas, o índice de infestação na comunidade é de 17.8%. Em outra localidade próxima, Padre Antônio Lima Neto, o percentual chegou a 15.7% – o município tem aproximadamente 215 mil habitantes, segundo Censo do IBGE.

As principais sintomas da dengue, segundo especialistas da saúde, são febre acima de 38º, dor de cabeça, dor pelo corpo e nas articulações, manchas vermelhas pelo corpo, dor nos olhos e nos ossos, falta de apetite e mal estar.

“Quando alguém estiver com o sintoma da doença, a orientação é que procure a unidade de saúde mais próxima e não ficar em casa. É bom lembrar que a dengue mata”, reforça Sôilymar Santana, técnica responsável pelo acompanhamento da dengue e outras arboviroses em Arapiraca.

GAZETAWEB.COM

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here