O CRB tem sofrido com o grande número de cartões recebidos nesta edição do Campeonato Brasileiro da Série B. Passadas 26 rodadas, os jogadores do Galo já receberam 61 amarelos e seis vermelhos. Na derrota para o América-MG, por 1×0, nessa quinta-feira (3), mais quatro amarelos foram computados (Edson Henrique, Lucas Abreu, Claudinei e Wellington Carvalho), aumentando a lista de pendurados para dez atletas.

Por conta desse histórico, as ausências nas partidas têm sido constantes. Contra o Coelho, o zagueiro Victor Ramos cumpriu suspensão pelo terceiro cartão recebido no empate de 1×1 com o São Bento, no Estádio Rei Pelé. Já contra o Sport, na segunda-feira (7), é a vez de o volante Lucas Abreu não atuar devido ao mesmo problema. Ele recebeu o terceiro amarelo no embate em Belo Horizonte-MG.

O volante, inclusive, é o atleta do elenco regatiano que mais se ausentou por conta de suspensão automática. Contra o Leão da Ilha, será a quarta partida da Série B que Lucas não poderá atuar.

No indigesto ranking de indisciplina, faltando ainda 12 partidas para o fim da Segundona, Abreu lidera com o total de nove amarelos e um vermelho. Em segundo, aparece Victor Ramos empatado com o mesmo número de yellow cards. O terceiro jogador mais indisciplinado do plantel é o lateral esquerdo Igor Cariús, com cinco.

Volante Lucas Abreu lidera o ranking de cartões do CRB e desfalca equipe contra o Sport, na segunda-feira (7)
FOTO: Ailton Cruz/Gazeta de Alagoas
Para se ter uma ideia do excesso de punições, em toda Série B de 2018, o jogador que mais sofreu amarelos foi o atacante Willians Santana, com 10. Seguido de perto pelo zagueiro Everton Sena, sendo advertido nove vezes. Em terceiro, com oito, aparece o centroavante Neto Baiano. Naquele ano, o Regatas terminou a competição com 85 amarelos e sete vermelhos.

A péssima esquiva de cometer faltas provenientes para punição fez a lista de pendurados do CRB subir de forma alarmante. Após esta 26ª rodada, a lista de prováveis desfalques subiu de oito para dez.

Com dois cartões amarelos aparecem Léo Ceará, Edson Henrique, Páscoa, Claudinei, Igor, Alisson Farias, Élton, Bryan, Edson Mardden e Willie. Destes, quatro são titulares absolutos do técnico Marcelo Chamusca, que poderão ser suspensos e fazer muita falta na reta final da Série B.

O crescente número de cartões é devido ao estilo de jogo de Chamusca. O CRB se comporta atrás da linha da bola, buscando o contra-ataque. Nisso, costuma fazer “faltas técnicas” para consertar erros cometidos na frente e matar jogadas que possam levar problemas ao sistema defensivo regatiano.

Se observado tecnicamente, não está errado. Porém, esta é uma escolha que poderá custar uma sonhada vaga na Série A em 2020. O Regatas não dispõe de um elenco recheado de boas peças para reposição. Por exemplo, na ausência de Victor Ramos, contra o América, Edson entrou e falhou na marcação de Ricardo Silva, que marcou o gol da vitória sobre os alagoanos. Ou seja, a tendência é que o torcedor alvirrubro sofra nesta reta final de competição.

O Galo é o atual 4º colocado da Série B, com 38 pontos. Porém, sem vencer há três rodadas e com sete adversários na cola, as chances de classificação à primeira divisão deixou os 27,9% e estacionou na casa dos 14%, segundo o Departamento de Matemática da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

GAZETAWEB.COM

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here