Cansados do desrespeito, desvalorização e do arrocho que estão enfrentando há anos, servidores da Secretaria de Educação de Alagoas protestam nesta quarta-feira (9) e cobram do governo Renan Filho (MDB) um canal de diálogo para as demandas apresentadas pelas categorias, além de exigir as condições mínimas para o desempenho de suas atividades nas escolas. Os servidores alegam que não têm sequer material de trabalho, como equipamentos para a proteção individual.

Cerca de 3 mil servidores – formados por vigias, merendeiras, auxiliares, agentes administrativos e motoristas – dizem que, apesar de terem solicitado por diversas vezes um canal de diálogo com o governo do Estado, tiveram como resposta o silêncio por parte dos gestores. Eles alegam que sempre ficam empurrando com a barriga as demandas apresentadas pelos servidores da Educação.

“O governo fica empurrando a nossa demanda com a barriga. Não nos atende, não dá sequer um encaminhamento. Eles fecharam as portas. Queremos negociar a progressão das nossas carreiras e solicitar, inclusive, os equipamentos que são necessários para o trabalho, como luvas, máscaras e tudo mais que é obrigatório. É um desrespeito o que está ocorrendo”, reagiu Alexandre Ferreira da Silva, presidente do Sindicato dos Auxiliares de Administração das Escolas da Rede Estadual.

O sindicalista avaliou que o governo Renan Filho não pode justificar a eventual falta de recursos para não aplicar as melhorias desejadas pelas categorias, “já que ele [governador Renan Filho] devolveu recursos federais a Brasília”. “Ou seja, como houve devolução de recursos há outros em caixa para investimentos, né? Cobramos, portanto, o que é nosso de direito”, frisou.

“Diante do descaso do governador Renan Filho com os trabalhadores, impondo sua política de desvalorização dos servidores públicos com arrocho salarial, atraso na implantação da progressão funcional (mudança de letra), devolução de R$ 27 milhões ao governo federal por falta de planejamento, calote nos transportadores escolares, sem investimento na formação continuada dos professores e funcionários de escolas e ainda gasto de milhões em propagandas para maquiar a sua má gestão, calote no transporte escolar, que, há mais de meses, os transportadores não recebem o pagamento, o sindicato convoca a categoria para participar da mobilização na Seplag em frente ao Palácio do governo”, diz um trecho do texto que faz a convocação dos servidores para o ato nesta quarta-feira, às 9h.

Por Jonathas Maresia | Portal Gazetaweb.com

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here