Possivelmente afetados com a proposta do Proposta de Emenda à Constituição do Pacto Federativo do Governo Federal que pretende fundir municípios com menos de cinco mil habitantes, os prefeitos das cidades de Olho D´Água Grande e Mar Vermelho avaliam que o maior prejudicado com a medida será a população.

Para Zé Adelson, gestor de Olho D´Água Grande, o impacto da mudança seria muito forte e o município perderia toda autonomia para poder ofertar os serviços essenciais para os moradores.

“No fundo somente quem irá perde é a população. É uma situação que tem que ser bem avaliada antes de ser concretizada”, colocou Zé Adelson.

A prefeita de Mar Vermelho, Juliana Almeida, avalia que os moradores deverão ser obrigatoriamente consultados sobre essa possível fusão, pois eles são os atores principais. “Vale destacar, ainda, que o aspecto financeiro não deverá ser isoladamente o requisito principal, pois sabemos que os municípios possuem vários outros, tais como, político, social e cultural”, afirmou Juliana.

Em Alagoas existem sete cidades que se “enquadram” no detalhamento dessa PEC que são Palestina com 4.828, Olho d’Água Grande com 4.749, Belém com 4.405, Jundiá com 4.306, Mar Vermelho com 3.514, Feliz Deserto com 3.937 e a pequena Pindoba com 2.908.

O presidente defendeu que a fusão dos municípios irá promover o fortalecimento da federação e gerar também maior autonomia para a gestão de recursos. Conforme dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), existem 1.254 municípios com menos de cinco mil habitantes.

CADA MINUTO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here