Com 46 pontos o CRB está garantido na Série B. Roberto Fernandes cumpriu a missão a qual lhe foi dada. Agora é pensar no resto da temporada e fazer diferente do que foi em 2019. Fernandes, de 49 anos, foi contratado para apagar um incêndio. O CRB venceu 4 dos últimos 5 jogos. Em 2018, o treinador chegou também com essa missão em Alagoas e salvou o Galo. Mas a sequência não foi positiva.

Na saída, ele entrou em choque com o presidente do clube, Marcos Barbosa. O problema já foi superado, segundo o treinador. “A minha saída foi um momento de cabeça quente de todo mundo. Não foi só do presidente, foi minha também. Eu já havia falado com o presidente sobre outros assuntos, e isso já havia sido superado. Não posso também ser rotulado de bombeiro. A maioria dos clubes que dei sequência, no ano seguinte, fui campeã. Tenho seis, sete títulos”, destacou.

O departamento de futebol deve se reunir com o treinador para uma ampliação do contrato que foi feito apenas para a Série B.

O técnico Roberto Fernandes não quer ninguém relaxado no CRB. Ele comemorou a quarta vitória em cinco jogos desde que chegou ao time, sendo a terceira seguida, mas disse que gostou apenas do segundo tempo da partida contra o Guarani. “A equipe voltou com uma postura melhor, mais concentrada, e aí soube construir a vitória”

Segundo Fernandes, o objetivo é buscar o máximo de pontuação na reta final da Série B. O Galo ainda enfrenta Operário-PR (fora), Figueirense (casa), Ponte Preta (fora) e Cuiabá (casa).

“A atenção permanece igual. Quem tá em primeiro lugar, se quiser perder essa condição, basta treinar menos, se concentrar menos, do que quem está em segundo. Não podemos fazer isso. O foco tem que ser o mesmo, o trabalho tem que ser o mesmo, e vamos brigar para buscar a colocação mais honrosa possível. O Operário, próximo adversário, tem 48 pontos, o CRB tem 46 e é mais uma oportunidade de ultrapassar um adversário”.

Em cinco jogos, o Galo sofreu apenas um gol. Fernandes falou sobre essa marca expressiva. “Trabalho, concentração, dedicação do grupo como um todo, e jogando apenas com um volante. Todos os jogos têm um peso muito grande. Quando você joga em casa, tem a obrigação de construção. E as equipes vêm mais fechadas. Nesse jogo em especial, a gente poderia ter mais concentração. Antes dos cinco minutos, a gente teve duas chances de gol e, com um pouquinho mais de concentração, poderia ter aberto o placar no início da partida”.

Fonte: Tribuna Independente

(Foto: Ascom/CRB)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here