k

A Prefeitura de Maragogi declarou situação de calamidade pública em decreto publicado no Diário Oficial do Município, nesta segunda-feira, 27. A cidade, assim como outros municípios da região Norte, foi castigada pelas fortes chuvas que caem entre Alagoas e Pernambuco há mais de um mês.

“Fica decretado ESTADO DE CALAMIDADE PÚBLICA no município de Maragogi, conforme Lei Federal nº 12.608, de 10 de abril de 2012 e Instrução Normativa nº 2, de 20 de dezembro de 2016, enquanto perdurarem os efeitos da precipitação pluviométrica ocorrida na região, em virtude das fortes chuvas no município de demais regiões”, consta no documento.

Ainda de acordo com o decreto, é autorizada a mobilização de todos os órgãos municipais para atuarem sob a coordenação do órgão municipal de Proteção e Defesa Civil, e sob a orientação do Gabinete de Crise municipal, em período integral, nas ações de resposta ao desastre e reabilitação do cenário.

“Nós adquirimos 60 bueiros para instalação na região de Peroba, já perto da divisa entre Alagoas e Pernambuco. A região ficou muito castigada. Várias máquinas operam em pontos da cidade, que está encharcada, principalmente na zona rural. Então são obras paliativas para diminuir esse sofrimento”, disse o prefeito de Maragogi Fernando Sérgio Lira, em entrevista ao TNH1.

As chuvas que caíram na última semana excederam os 200 milímetros. Em Maragogi, até o último dia 22, choveu mais que 130mm, sendo considerado um dado alarmante. A chuva causou danos à população, inclusive com deslizamento de encostas e a iminência de desabamento de residências, o que gerou a necessidade de salvaguardar famílias, principalmente na zona rural.

A água provocou uma série de deslizamentos e inundações em diversas localidades, inclusive os acessos à área rural e assentamentos da cidade. Maragogi informou que também considerou a situação anormal/emergencial decretada pelo Estado, em decorrência das chuvas intensas, por 180 dias, para decretar a situação de calamidade.

“As férias dos alunos da rede de ensino foram antecipadas também, devido a esse momento, conforme havia decretado o estado. Nós aqui também ratificamos essa decisão, e antecipamos, justamente por esse período de chuvas”, complementou o prefeito.

O boletim atualizado da Defesa Civil Estadual, divulgado no domingo, 26, mostra que o município tem 110 pessoas desalojadas desde o início das chuvas.

TNH1.COM

FOTO: GOOGLE