Na edição mensal do Fórum Intersetorial de Cuidados em Saúde Mental, Álcool e outras Drogas (Ficsmad), do mês de junho, apresentou o tema “Redução de danos”, ministrado por Leilane Camila Ferreira, enfermeira do Caps Ad Amor e Esperança, especialista em Psiquiatria e Saúde Mental, realizado na última semana, no auditório do Centro de Referência Integrado de Arapiraca (Cria).

O Ficsmad é promovido pela Prefeitura de Arapiraca, através da Secretaria Municipal de Saúde. Aberto à participação de toda a sociedade, o evento, que acontece sempre na última quinta-feira do mês, é considerado um importante espaço coletivo de construção e discussão da Rede de Atenção Psicossocial do Município, que ainda conta com a participação de colaboradores das pastas da Saúde, Educação e Desenvolvimento Social.

Sobre a temática “Redução de Danos”, a enfermeira Leilane Camila Ferreira explica que se trata de um conjunto de promoção de saúde e cidadania, que respeita a premissa de que saúde é um direito de todos.

“Redução de danos é uma estratégia de saúde pública que busca controlar possíveis consequências adversas ao consumo de psicoativos sem, necessariamente, interromper esse uso, buscando inclusão social e cidadania aos usuários de drogas”, definiu Leilane Camila Ferreira

Ficsmad

“Entre as propostas do Fórum está servir de canal para troca de experiências entre o público assistido, os seus familiares, os profissionais dos serviços e a sociedade . E, através das discussões sobre os variados temas relacionados, trabalhar o fortalecimento da política de Saúde Mental em Arapiraca”, ressaltou Clédja Almeida, psicóloga e coordenadora do Ficsmad.

Assistência

Graciel Gonçalves, 28, há dois anos é usuário do Caps AD. Ele explica que, quando chegou ao local, o sentimento que carregava era de exclusão, que logo se transformou acolhimento e amor. E para ele, as discussões estabelecidas durante o Ficsmad são mais uma oportunidade para ampliar os seus conhecimentos e contribuir com a melhoria dos serviços.

“Amor e esperança é o nome do Caps, sentimentos que representa muito bem o órgão. Desde o primeiro dia, há dois anos, que eu me sinto acolhido e amado pela equipe de profissionais. Eles não somente me ajudam com o problema do vício, mas também a entender a minha realidade e me tornar um ser humano melhor. É uma família que me escuta, ajuda e devolve a minha esperança para vencer”, afirmou.

CADA MINUTO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here