Nesta quinta-feira (8), um reeducando foi morto com cerca de 50 golpes de espeto artesanal no Presídio do Agreste, em Girau do Ponciano. A vítima foi identificada como Isaías dos Santos Silva, de 22 anos de idade. Ele é natural de Coruripe e estava preso há 11 dias por tráfico de drogas. Isaías era preso provisório e não havia condenação contra ele.

De acordo com informações do Presídio do Agreste, o homem trabalhava como pedreiro. Imagens da execução de Isaías dos Santos circularam em aplicativos de mensagens e chamaram a atenção pela brutalidade que o crime foi cometido. A vítima apresentava sinais de perfuração por todo o tórax e parte do pescoço. Há ferimentos visíveis também no rosto.

Uma parte do intestino do homem também foi arrancada e deixada exposta em cima do corpo. O local do crime ficou totalmente ensanguentado. A arma do crime, um espeto artesanal, algo semelhante a uma estaca, ficou cravada no tórax da vítima.

O Presídio do Agreste é uma unidade de segurança máxima e abriga, geralmente, presos ligados a facções criminosas.

Sindapen

O presidente do Sindicato dos Agentes Penitenciários de Alagoas (Sindapen), Petrônio Lima, afirmou à reportagem da Tribuna que apenas as investigações vão apontar os acusados do crime e também expor a motivação para o homicídio.

“Não está descartada nenhuma hipótese. Pode ter acontecido a mando de uma facção criminosa, ou pode ter sido uma forma de os presos retaliarem a suspensão das visitas nos presídios. Só as investigações irão responder”, disse.

A Secretaria de Ressocialização e Inclusão Social (Seris) informou que os custodiados irão prestar esclarecimentos sobre o ocorrido e será aberto um Procedimento Administrativo Disciplinar (PAD) para apurar as causas e circunstâncias do fato. A delegada de Girau do Ponciano, Daniela Alves, deve investigar o caso.

TRIBUNA HOJE

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here