Nos Estados Unidos, o número de estados que legalizam a maconha para uso medicinal e recreativo está aumentando. Entretanto, pouco se sabe sobre como ou por que adultos com condições médicas o utilizam.

Um novo estudo teve como objetivo relatar a prevalência e os padrões de uso de maconha entre adultos com e sem condições médicas, de maneira geral e por grupo sociodemográfico, e examinar melhor as associações entre o uso atual de maconha e os tipos e número de condições médicas.

O estudo usou dados de 169.036 participantes nas pesquisas do Sistema de Vigilância de Fatores de Risco Comportamental de 2016 e 2017, e constatou que, em comparação com adultos sem condições médicas, os adultos com condições médicas tinham uma prevalência significativamente maior do uso atual e diário da maconha, eram mais propensos a relatam o uso de maconha por razões médicas e eram menos propensos a denunciar o uso de maconha para fins recreativos. Entre os entrevistados com condições médicas, 11,2% dos jovens adultos relataram usar maconha diariamente, e a prevalência do uso de maconha diminuiu com o aumento da idade.

Segundo os autores da pesquisa, os médicos devem buscar entender por que e como os pacientes estão usando maconha, discutir o uso de maconha com seus pacientes com a finalidade de otimizar os resultados obtidos.

TERRA.COM
FOTO GOOGLE

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here