O vegetarianismo nasce nas mudanças alimentares feitas pelas pessoas que decidem ser vegetarianas. Agora, quais são as crenças e princípios que as motivam a tomar essa decisão? Qual é o estilo de vida do vegetariano?

O vegetarianismo é um estilo de vida cada vez mais comum; nos últimos anos, houve um auge quanto ao número de praticantes do mesmo. Embora seja um termo conhecido, nos perguntamos: o que ele realmente significa?

De acordo com a IVU (União Vegetariana Internacional), o vegetarianismo consiste em seguir uma dieta baseada em alimentos derivados de vegetais, com diferentes tipos, dependendo da inclusão ou exclusão de leite e derivados, ovos e/ou mel.

A definição dessa corrente é baseada nos alimentos que ingerimos, pois nasce nas mudanças alimentares feitas pelas pessoas que decidem ser vegetarianas. Agora, quais são as crenças e princípios que motivam essa decisão?

De acordo com a IVU, o vegetarianismo não é apenas uma dieta, mas um estilo de vida. Neste artigo, falaremos sobre isso.

Vegetarianismo como estilo de vida

Como surge o vegetarianismo?

Os conceitos vegetarianismo e vegetariano apareceram no Reino Unido em 1887 com a primeira associação vegetariana do mundo, a “Sociedade Vegetariana”. Até aquele momento, o termo “dieta vegetal” era usado para se referir àqueles que consumiam exclusivamente alimentos derivados das plantas.

Mais tarde, surgiram associações em outros países (Alemanha, Holanda) com base nos mesmos princípios da Sociedade Vegetariana. Em 1908 foi criada a União Vegetariana Internacional, uma organização sem fins lucrativos que tem como objetivo promover o vegetarianismo.

“Atualmente, essa ideologia continua em crescimento, pois cada dia mais pessoas decidem ser vegetarianas. Uma pesquisa do VRG (Vegetarian Resource Group) em 2006 estimou que 6,7% da população mundial é vegetariana”.

Modalidades do vegetarianismo

De acordo com a União Vegetariana Internacional (IVU), existem diferentes modalidades que fazem parte do vegetarianismo, dependendo do tipo de dieta seguida.

Nesse sentido, existe uma diferenciação entre o consumo de ovos (ovovegetariano), laticínios (lactovegetariano) ou ambos (ovolactovegetariano). Do mesmo modo, há uma distinção quando a dieta exclui qualquer alimento derivado de animais (mel, leite, queijos, ovos…); neste caso, falamos dos veganos.
Princípios motivadores

Apontamos alguns dos princípios motivadores das pessoas que têm se agrupado neste movimento:

Saúde: esse princípio motivador considera que uma alimentação saudável e orgânica é baseada em vegetais. Excluem a carne do cardápio, pois não a consideram um alimento essencial.
Razões ecológicas: esse princípio aponta para as formas de criação extensiva e intensiva de animais como algumas das principais causas da degradação do planeta. Ele se baseia em dados, como um estudo da FAO, que afirma que o setor pecuário gera mais gases de efeito estufa do que o setor de transporte. Portanto, ele seria um dos principais impulsionadores do aquecimento global.
Religião: algumas religiões promovem o vegetarianismo como estilo de vida. Um exemplo disso é a religião hinduísta, que afirma que a vaca é um animal sagrado e digno de veneração. Portanto, não poderia ser usada para fins de consumo humano.
Ética: a dieta vegetariana, por razões éticas, está relacionada à defesa dos direitos dos animais, pois seus praticantes consideram a morte do animal antiética. Também condenam seus maus-tratos e exploração com o único objetivo de produzir produtos para consumo humano (alimentos, objetos, roupas…). Eles defendem uma vida e uma morte digna de todos os animais.

Pessoas vegetarianas

Vegetarianismo, um estilo de vida?

Para concluir, se levarmos em conta os princípios motivadores mencionados anteriormente, podemos afirmar que a dieta vegetariana não pode ser contemplada apenas em termos de nutrição, mas também constitui um todo que pode ser entendido como uma atitude e um estilo de vida.

É possível – e também provável – que um vegetariano rejeite outras maneiras de usar animais para produzir bens de consumo.

Da mesma forma, é provável que o vegetariano não seja a favor de realizar certas atividades ou ir a determinados lugares.

Por exemplo, ir a um restaurante no qual o cardápio seja exclusivamente carnívoro, a um rodeio ou tourada, circos e atividades turísticas com animais, ou a qualquer celebração em que um animal seja protagonista.

R7.COM

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here